Categorias
Human Rights Humanitarian work Integral Human Development Migrants

  Da solidariedade – etapas da história

O Governo de Portugal, tal como de outros Estados na Europa, adotou uma prática restritiva quanto aos refugiados e impôs obstáculos institucionais e constrangimentos burocráticos aos fluxos de migrantes que procuravam chegar a Portugal ou que precisavam desta rota de fuga para outros continentes.

Em relação a Portugal, pouco foi dado a conhecer sobre a “rota de Lisboa”, quando, com avanço do exército comandado por Hitler, através da Península Ibérica, o nosso país se tornou porta e porto vital para sobreviventes.

Da “rota de Lisboa”, conexa com o papel da Igreja Católica e a sua campanha humanitária para salvar sobreviventes das políticas nazis e das ruínas da guerra, é ainda fragmentário o conhecimento.

Existem já aprofundados estudos historiográficos que contribuíram para uma transformação na compreensão dos processos em que se envolveram instituições católicas em diversos países europeus durante a II Guerra Mundial. O mesmo não se poderá dizer do contexto português.

Na sessão do Seminário de Investigadores «Arquivos Romanos para a história religiosa de Portugal», que terá lugar no dia 18 de junho de 2024, 14h30-17h (hora de Lisboa)naPontifícia Università Gregoriana, em Roma (sala T202) e online apresentarei uma comunicação sobre a importância dos Arquivos Romanos para o conhecimento de uma etapa da construção da resposta humanitária e da solidariedade organizada em Portugal por parte do catolicismo social.

O Arquivo Pio XII, no que se refere ao protagonismo do Vaticano durante a II Guerra Mundial e quanto ao socorro às vítimas da perseguição nazi, os “Arquivos Romanos” documentam uma extensa diplomacia humanitária com conexões a Portugal e com uma vasta intervenção da Santa Sé nas relações internacionais para salvar vidas em perigo. Os arquivos do pontificado de Pio XII possibilitam, numa abordagem à sociedade portuguesa, o acesso a novos suportes documentais para a interpretação de uma história transnacional coletiva e da história social, no que significou o deslocamento da guerra e da emigração, e para o mapeamento de uma nova perspetivação acerca do desempenho católico.

Como está documentado na Commissione Soccorsi, quer sejam nos processos de milhares de refugiados que se salvaram através de Portugal, quer sejam nos casos em que a Nunciatura de Lisboa dava conta de que a “Caritas” portuguesa estava em condições de poder responder à solicitação do Papa Pio XII para que fossem acolhidas, temporariamente, em Portugal crianças vítimas da guerra[1], o que se conclui é que a diplomacia humanitária desenvolvida pela Santa Sé extrapolou o campo político-diplomático.

Podemos falar de um projeto humanitário em grande escala desenvolvido pela Igreja Católica que, no referente à “rota de Lisboa”, fez de Portugal, para além de um território de passagem ou de permanência temporária, um país de acolhimento e uma nova pátria para muitos refugiados.

               Solidarity – stages of history

During World War II, as the invasion and occupation of European countries continued, the Nazi army unleashed a spiral of terror and, consequently, thousands of migrants fled in search of refuge.

The Government of Portugal, like other States in Europe, adopted a restrictive practice regarding refugees and imposed institutional obstacles and bureaucratic constraints on the flows of migrants who sought to reach Portugal or who needed this escape route to other continents.

In relation to Portugal, little was known about the “Lisbon route”, when, with the advance of the army commanded by Hitler, through the Iberian Peninsula, our country became a vital port and port for survivors.

Knowledge of the “Lisbon route”, linked to the role of the Catholic Church and its humanitarian campaign to save survivors of Nazi policies and the ruins of war, is still fragmentary.

There are already in-depth historiographical studies that have contributed to a transformation in the understanding of the processes in which Catholic institutions were involved in several European countries during World War II. The same cannot be said about the Portuguese context.

In the session of the Researchers Seminar «Roman Archives for the religious history of Portugal», which will take place on June 18, 2024, 2:30 pm-5 pm (Lisbon time) at the Pontificia Università Gregoriana, in Rome (room T202) and online, I will present a communication on the importance of the Roman Archives for understanding a stage in the construction of the humanitarian response and solidarity organized in Portugal by social Catholicism.

The Pius XII Archive, with regard to the Vatican’s leading role during the Second World War and in terms of helping victims of Nazi persecution, the “Roman Archives” document extensive humanitarian diplomacy with connections to Portugal and a vast intervention by the Holy See in international relations to save lives in danger. The archives of Pius XII’s pontificate provide, in an approach to Portuguese society, access to new documentary supports for the interpretation of a collective transnational history and social history, in what the displacement of war and emigration meant, and for the mapping of a new perspective on Catholic performance.

As is documented in the Commissione Soccorsi, whether in the processes of thousands of refugees who were saved through Portugal, or in cases in which the Nunciature of Lisbon realized that the Portuguese “Caritas” was in a position to be able to respond to the request of the Pope Pius XII to temporarily welcome children who were victims of war in Portugal[2], what can be concluded is that the humanitarian diplomacy developed by the Holy See went beyond the political-diplomatic field.

We can talk about a large-scale humanitarian project developed by the Catholic Church which, in relation to the “Lisbon route”, made Portugal, in addition to a territory of transit or temporary stay, a country of reception and a new homeland for many refugees.


[1] Cf. Arquivo Apostólico Vaticano – Commissione  Soccorsi, b. 435, Varia 1864, f. 17.

[2] Cf. Arquivo Apostólico Vaticano – Commissione  Soccorsi, b. 435, Varia 1864, f. 17.


OpenEdition sugere que esta publicação seja citada da seguinte forma:
edgarsilva (16 de Junho de 2024).   Da solidariedade – etapas da história. Desenvolvimento Humano Integral. Recuperado em 14 de Julho de 2024 de https://doi.org/10.58079/11u3s


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search